Logon

CBMM
CBMM - Português (Brasil)

Sim

​Empresa brasileira do setor privado, a CBMM (Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração) foi fundada em 1955 em Araxá, Minas Gerais, onde se localizam grandes reservas de minério de nióbio. Graças a décadas de investimentos na tecnologia do nióbio, em aplicações de nióbio e na prestação de serviços aos clientes, a CBMM ostenta a posição de principal produtor mundial de nióbio e única empresa com presença em todos os segmentos do mercado de nióbio.


A CBMM conta com um quadro de aproximadamente 1.800 profissionais altamente treinados e dedicados, comprometidos em fornecer tecnologias e produtos inovadores de nióbio a mais de 300 clientes em 50 países, em diversas partes do mundo.


A logística é fundamental para o atendimento eficiente aos clientes, destacando-se entre as várias vantagens da CBMM.  Além de quatro subsidiárias, a Companhia mantém ampla rede de depósitos terceirizados, estrategicamente posicionados ao redor do mundo.  Os depósitos mantêm estoques suficientes para pronto atendimento de qualquer necessidade, assegurando aos clientes acesso a um fluxo ininterrupto de produtos de nióbio de alta qualidade.


O compromisso com o meio ambiente, os funcionários e a comunidade - assumido desde o início pela Companhia - consolidou a reputação da CBMM como um empreendimento sustentável.  Além de numerosas certificações e distinções, inclusive de ter sido a primeira empresa de mineração e metalurgia do mundo a receber a certificação ISO 14001, a missão da CBMM é sustentável: ampliar a utilização da tecnologia do nióbio, transformando um recurso natural em soluções para a construção de um mundo melhor. 

 

Clique nos itens para saber mais.​


O Grupo Moreira Salles é acionista majoritário da CBMM desde 1965. De 2002 a 2006, aumentou seu controle acionário - de 55% para 100% - através de compras sucessivas de participações mantidas pelo acionista minoritário Molycorp. Em 2011, uma participação de 15% na Companhia foi vendida a um consórcio japonês-sul-coreano e outra, também de 15%​, foi adquirida por um grupo de empresas chinesas.

 


​Um contrato assinado em 1972 entre a CBMM e a estatal Camig (hoje, Codemig), define meios para a maximização do uso das reservas de nióbio de Araxá, garantindo à Codemig uma participação de 25% no lucro líquido ajustado de toda a operação com o nióbio. Clique aqui para mais informações sobre a parceria entre a CBMM e a Codemig.