CBMM

  • CBMM. Mais de 50 anos de sucesso operacional.

    destaque
  • CBMM. Líder mundial na tecnologia do nióbio.

    destaque
  • CBMM. A primeira empresa de mineração e metalurgia a receber o ISO 14001.

    destaque
  • Nióbio. Soluções para um futuro sustentável.

    destaque
  • Tecnologia do nióbio. Respostas para os desafios de hoje.

    destaque
  • Tecnologia do nióbio. Emissões de CO[2] reduzidas.

    destaque

Soluções
Tecnológicas

Aços com Nióbio para Construção

A Unidade de Sinterização II da CBMM foi construída com aços de alta resistência microligados ao nióbio. O uso de aço de alta resistência em substituição ao aço comum contribuiu para que a estrutura completa consumisse 22% menos aço. Assim, toda a cadeia de suprimentos se beneficia de reduzidos impactos ambientais e de diminuição nos custos em consequência do uso de produtos de nióbio com valor agregado.

Mais

Companhia Brasileira de
Metalurgia e Mineração

A Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) é o mais importante fornecedor mundial de nióbio e da tecnologia do nióbio e inteiramente integrada, desde a mina até produtos finais atendendo às necessidades do consumidor final. A CBMM fornece apoio técnico especializado a cada cliente nos mais sofisticados segmentos da siderurgia e tecnologia em todo o mundo.

A CBMM se esforça para ir além de suas expectativas, onde quer que estejam esses clientes. A Companhia tem sua matriz em Araxá, Minas Gerais, uma subsidiária de tecnologia na Suíça, outras três subsidiárias comerciais na Europa, Ásia e América do Norte, bem como uma extensa rede mundial de depósitos estrategicamente localizados.

 

Saiba Mais sobre o Nióbio Biblioteca Técnica do Nióbio

Liderança
Ambiental

Conservação da Água

Uma das prioridades da CBMM é se distinguir pela gestão da água que utiliza.

Esforços por parte da equipe técnica do Centro de Pesquisa de Processo da CBMM para reduzir o uso de água estão dando certo: 95% da água utilizada no processo produtivo é reaproveitada atualmente e o objetivo é atingir 98% nos próximos  dois anos.

Mais